O GERENTE ESPERTO

Meu irmão, minha irmã, muito boa noite para você. Que a paz e a alegria do Amor de nosso Deus estejam sempre a iluminar seu coração. Que nosso Deus de bondade abençoe você por não ter faltado a esse encontro com ele. Ele quer mudar sua vida para melhor, sempre e cada vez mais, e por isso quer que você conheça e compreenda como ele é e como ele age. Ele quer lhe dizer algumas palavras criadoras e transformadoras, ensinar-lhe a usar o poder da Palavra que ele lhe deixou na Sagrada Escritura para mudar a sua vida e sua situação, de forma a que tudo concorra para o seu bem. Deus ilumine você e realize em você o grande plano de amor que tem para a sua vida! Em nome de Jesus, assim seja.

Meu irmão, minha irmã, havia um homem rico, cujo gerente foi acusado de dissipar os seus bens. O patrão o chamou a prestar contas e disse-lhe que ia ser despedido.

De início, o gerente ficou perplexo, sem saber o que fazer. Decidiu convocar os devedores de seu patrão e perguntar-lhes quanto cada um devia. Exigiu pagamento imediato, mas reduziu as importâncias devidas. Seu patrão elogiou-o por agir com tanta esperteza. “Com efeito, os que pertencem a este mundo são mais habilidosos para com seus semelhantes do que os que pertencem à luz.” (LC 16,8).

Jesus diz, então, a seus ouvintes: “usai as riquezas mundanas para fazer amigos para que, quando elas se forem, esses amigos vos recebam nas moradas eternas.” (v.9). Essa sugestão não nos deve causar problemas; a riqueza do mundo deve ser usada com sabedoria e esperteza. Não há vantagem em acumulá-la ou “guardá-la em celeiros”, como diz uma outra parábola de Jesus. Evidentemente não a podemos levar conosco para a eternidade. Todos os recursos financeiros e riquezas do mundo nos são dados para serem usados.

O tipo de generosidade usado pelo gerente esperto pareceria fora de lugar pelos padrões comerciais do mundo, mas realiza muito mais do que as táticas agressivas de muitos comerciantes. Jesus esclarece: “Aquele que é digno de confiança em coisas pequeninas é digno de confiança também numa grande; e aquele que é desonesto em coisas pequeninas é desonesto também numa grande. Se, pois, não fostes dignos de confiança quanto ao dinheiro enganador, quem vos confiará o bem verdadeiro? E se não fostes dignos de confiança quanto ao que vos é alheio, quem vos dará o que vos pertence?” (v. 10-12).

A atitude de uma pessoa quanto ao dinheiro revela muito de suas atitudes espirituais. Não acumuleis para vós tesouros na terra, disse Jesus, “mas acumulai para vós tesouros no céu, onde nem as traças nem os vermes arruínam, onde os ladrões não arrombam nem roubam.” (Mt 6,20). São os ricos tesouros do Reino que têm valor permanente.
Deus conhece nossos corações. “Pois onde estiver o teu tesouro, ali também estará o teu coração”, diz Jesus (Mt 6,21). Se uma pessoa vive para a riqueza e o progresso mundanos, é aí que está o seu coração – em coisas passageiras. Se seu coração está em coisas celestiais, ele tem um Reino eterno por herança e tratará com sabedoria, honestidade e prudência os recursos mundanos colocados à sua disposição.

Jesus nos alerta: “Ninguém pode servir a dois senhores. Ou odiará um e amará o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e ao Dinheiro.” (LC 16,13). Aquele a quem você serve torna-se o seu senhor.
Os fariseus, que amavam o dinheiro, zombavam desse ensinamento de Jesus. Jesus lhes disse: “Vós mostrais a vossa justiça aos olhos dos homens, mas Deus conhece vossos corações. O que é valioso aos olhos dos homens é detestável aos olhos de Deus” (LC 16,15).

Jesus tinha recebido muitas críticas por elogiar a esperteza do gerente desonesto. Sua finalidade é dirigir-nos para as coisas que realmente interessam. Não fomos criados para servir o dinheiro; ao contrário, o dinheiro está aí para nos servir. Como filhos do Reino podemos ser generosos, perdoar dívidas inteiramente, e Deus às vezes pede isto de nós. “Mas amai os vossos inimigos, fazei-lhes o bem, e emprestai-lhes sem nada esperar em compensação.” (LC 6,35).
Essas atitudes não pertencem ao mundo, e sim são próprias de quem é do Reino de Deus. Jesus continua: “Então a vossa recompensa será grande, e vós sereis filhos do Altíssimo, pois ele é bom para os ingratos e para os maus. ” (v. 35-36).

Eis aqui, então, suas palavras de fé e de poder para hoje:
Hoje Deus lhe dá Lucas 16,35-36: “Mas amai os vossos inimigos, fazei-lhes o bem, e emprestai-lhes sem nada esperar em compensação. Então a vossa recompensa será grande, e sereis filhos do Altíssimo, pois ele é bom para os ingratos e para os maus.”.

Carrinho de compras
Rolar para cima
× Como posso te ajudar? Available on SundayMondayTuesdayWednesdayThursdayFridaySaturday